Rússia 1955

Todos nós amantes de motocicletas, as amamos por algum motivo em especial, muitos são apaixonados pela velocidade, outros pelo charme e encanto das maravilhas mecânicas que são estes "brinquedos", outros são apaixonados pela sensação de liberdade. E ainda temos os loucos por Trips, sim somos insanos por simplesmente  rodar!

Sabemos que este desejo de rodar de alguns motociclistas não é novo e isto nos fez buscar algumas inspirações, buscar relatos, retratos e fatos.

Em nossa busca nos deparamos com um diário de 1955 que descreve uma Trip-Aventura na Rússia Comunista, muito bacana e com fotos inspiradoras. O diário da viagem é descrito de forma bem sarcástica e com muito bom humor.

O Diário de Zimin

No verão de 1955 Zimin e mais 4 amigos resolveram fazer uma trip de motocicleta ....O Trajeto?  Moscow – Kiev – Uzhgorod – Kishenev (Segundo palavras do próprio Zimin: “ pretendíamos chegar a Odessa, mas ficamos sem “munição” ($$$) srsrsrs) – Kharkov – Moscow.

 

Zimin:

Nós éramos cinco, em quatro motocicletas, uma BMW-R75, e três K-125, uma delas com um sidecar.

Uma característica em comum destas quatro motos era a falta de suspensão traseira. O que tornava a viagem bem desgastante e também causou diversas quebras. Um número quase incontável de Raios se quebraram, e nós íamos amarando-os com arame ou substituindo por um pedaço qualquer que estivesse a mão, o que fez com que as rodas chegassem ao final da viagem com formato de oito, rsrsss. A BMV era a mota mais forte que tínhamos entre nós, com 22 cavalos de força e 460cc, todavia ela sofreu danos irreparáveis, a viagem a destruiu completamente.

Logo no primeiro dia de nossa viagem, já tivemos a primeira surprese de que nossa aventura teria mais adrenalina do que havíamos nos preparados. Pois logo após Vnukovo já não mais tínhamos estradas de asfalto, todas foram destruídas durante a guerra... e foram substituídas por areia da praia com cascalhos até Kiev, mas nossas pesquisa antes da vigem indicavam que as estradas estavam boas! Kkkkk

Viajávamos em fila e eu ia por ultimo, mas percebemos que esta nossa estratégia não estava funcionando! Isto, pois no segundo dia de viagem percebemos que os alimentos enlatados que eu levava em uma caixa de madeira amarrada na traseira de minha moto tinham caído! Não restava mais nada, pois como não tínhamos suspensão a caixa quebrou por baixo, assim as latas caiam e eu não percebia!

Três de nós quatro não tínhamos carteira de habilitação, então solicitamos ao partido comunista uma carta de autorização para dirigir e trafegar entre as fronteiras da Federação. Também percebemos no final do segundo dia que eu havia perdido as 3 autorizações... elas tinham caído da caixa!!! Isto quase nos levou a morte, pois poderia responder ao partido como negligencia! Sem dizer que os policiais da fronteira tinham o direito atirar em nós por não termos os documentos. E outro fator, estas cartas nós identificavam como estudantes do partido, com elas poderíamos solicitar aos militares carne enlatada, mas sem....

Relembrando estes fatos vem em minha mente a minha preparação para a viagem, pois pouco antes dela eu não tinha habilitação, então meu treino foi passar meses sobre o lombo de um cavalo, pois assim acreditava, com meus 20 anos de idade, que estaria preparado para tal viagem de motoca..rsrsrss, Idiotices da juventude.

Quando passávamos então por uma barreira militar, Geliy Zemtsov o proprietário da BMW apresentava sua habilitação e dizia: Os demais documentos estão nas bagagens, os senhores desejam que desmontemos tudo? Os militares olhavam o monte de traias...Rsrsrsrs e desistiam, assim passávamos.

Por diversas vezes no trajeto, vários de nós adormeceram no guidão das motos. E sim até mesmo em lembranças eu sinto falta da minha cama naqueles momentos...kkkk. Tivemos situações perigosas devido a isto, por exemplo, Ilya Golberg que pilotava a moto com o Sidecar adormeceu aponto de cair ns margens da rodovia, ele sobreviveu para rir da situação, mas nós riamos mais era ver ele pilotando com os olhos fechados mesmo depois do acidente.

No caso de Ilya Golberg acreditávamos que as causas de sua sonolência não era só o cansaço, mas também o exagero na Vodca rsrsrsss, tenho uma foto dele compartilhando sua vodca comigo, está a me servir, usando como copo a tampa do tanque de combustível, já que eu havia perdido também as canecas!

O Sabor da vodca não ficou muito agradável e ficava entalada em nossas gargantas por um longo tempo, mas era vital tomarmos tal bebida, pois se não morreríamos de frio a noite.

O Pai de Ilya  era o renomado escritor Efim Dorosh, e sua irmã era a menina que mais tarde ficaria famosa em toda a Rússia, Masha, ela aos oito anos de idade pronunciou em publico em frente a televisão a frase “Pai não desligue ainda, deixe-me odiá-los um pouco mais”, na tela estávamos vendo a premiação do partido comunista  Brezhnev.

Desta viagem nasceu um laço de amizade entre os 5 companheiros que perduram até os dias de hoje, e é comum nos reunirmos para relembrarmos de nossas aventuras enquanto fazemos omeletes e tomamos umas boas vodcas.

 

Nota do Editorial: [Esta reportagem é uma adaptação de uma tradução do inglês e do russo do “O Diário de Zimin”.]



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!